Iniciado no Guarujá, projeto contribui para a preservação do meio ambiente

A Localfrio implantou, no Terminal I Alfandegado do Guarujá, filtros capacitativos automáticos que melhoram os sistemas elétricos e eliminam a chamada “energia reativa”, tida como uma parcela indesejada da energia consumida pela empresa.A medida, que está em sua primeira fase, representa uma importante ação na preservação do meio ambiente, pois, uma vez em que se acaba com a energia reativa – uma das responsáveis por causar perturbação na rede da empresa concessionária fornecedora de energia – a mesma não tem a necessidade de aumentar a sua capacidade de geração e transmissão para compensar tal perturbação, eliminando esta que é uma das atividades que mais causam impacto ao ambiente.Segundo o superintendente de engenharia e manutenção da Localfrio, Luiz Augusto Meneguello, esta ação coloca a empresa à frente das demais, justamente pelo diferencial agregado. “Nos dias atuais, em que a sustentabilidade e a preservação ambiental são importantes diferenciais de mercado, a Localfrio entende que estas questões a colocam numa posição de destaque perante o mercado”, explica.Outro aspecto favorável do projeto é a eliminação de custos. Após a implantação dos filtros automáticos capacitativos no Terminal I do Guarujá, onde apenas em 2015 foram pagos mais de R$ 185 mil referentes à energia reativa, a empresa teve seus custos reduzido a zero, eliminando esta parcela indesejada de energia.Até o momento, o projeto já foi concluído no Terminal I de Guarujá, mas um estudo preliminar prevê a viabilidade de implantação nos terminais de Itajaí (SC) e Suape (PE). A previsão para a conclusão do projeto em todas as unidades é meados de 2016 e, assim que concluído, calcula-se uma economia de R$ 607 mil por ano, considerando o preço atual da energia.